Back To Top

Busca Lojas Conceito ZEISS e i.Terminal

Categoria

O que é uma deficiência visual?

Não são apenas os idosos a serem afectados por problemas de visão. Este artigo discute o que ajuda as pessoas com problemas visuais; proporcionando-lhes flexibilidade e prazer na vida

Muitos de nós usamos óculos ou lentes de contacto; é graças a estes auxílios visuais que conseguimos voltar a ver normalmente. Mas o que fazer quando isto não chega? Qualquer ser humano pode, a qualquer altura, ser perturbado por um problema visual. Porém, as deficiências visuais são especialmente comuns na velhice. Neste artigo, mostramos quais podem ser as razões e de que forma os auxílios visuais melhorados e as pessoas em redor destes podem ajudar quem é afectado.

Os familiares, colegas ou amigos não conseguem imaginar algumas das dificuldades diárias com que alguém com uma deficiência visual se depara.

Os familiares, colegas ou amigos não conseguem imaginar algumas das dificuldades diárias com que alguém com uma deficiência visual se depara.

Existem várias deficiências visuais diferentes que, até certa medida, não são reconhecidas de todo a partir da aparência exterior inicial. Os familiares, colegas ou amigos não conseguem imaginar algumas das dificuldades diárias com que alguém com uma deficiência visual se depara. Porém, existem bastantes pequenas coisas que melhorarão as vidas, o nível de independência e a capacidade de viver/trabalhar em conjunto das pessoas afectadas.

Cada deficiência visual tem as suas características individuais e os pacientes reportam uma variedade de sintomas: campo visual restrito (campo de visão tubular), perda de campo visual, sensibilidade à luz de encandeamento, cegueira nocturna, acromatopsia ou limitação forte da capacidade visual. Mesmo entre diagnósticos parecidos, os efeitos podem ser bastante diferentes para as pessoas afectadas.

Capacidades visuais como definido pela legislação social
: Na Alemanha, isto é classificado através do nível da deficiência, usando percentagens. Determina qual o apoio que pode ser transmitido nos respectivos estados de desenvolvimento. Se, por exemplo, uma pessoa conseguir reconhecer um objecto particular a uma distância de 10 m que uma pessoa normal consegue ver a uma distância de 100 m, para esta pessoa, a percentagem aplicável é de 10% em vez de 100% (Visão = Acuidade visual = 0,1). Um factor decisivo para a classificação de uma deficiência visual particular, além do factor da acuidade visual, é a extensão do campo de visão. Assim, existem os três seguintes tipos diferentes de deficiência visual:

  • Deficiência fisicamente presente: os óculos melhoram a acuidade visual (miopia e hipermetropia) em não mais do que 30% (Visão de 0,3); existe uma distorção da capacidade visual adequadamente classificada (normalmente, danos no campo de visão).
  • Deficiência visual de grau elevado: os óculos melhoram a acuidade visual (miopia e hipermetropia) em não mais do que 5% (Visão de 0,05); com deficiências visuais de grau elevado, existem mais distorções da capacidade visual (geralmente, restrições no campo de visão).
  • Cegueira definida por lei: os óculos melhoram a acuidade visual (miopia e hipermetropia) em não mais do que 2% (Visão de 0,02); a capacidade visual é demasiado perturbada por restrições no campo de visão, de modo a que a limitação resultante de uma redução da acuidade visual é equivalente a 2%.

 

Como é que surgem as deficiências visuais?

Geralmente, as deficiências visuais são provocadas por doenças degenerativas provenientes da retina do olho:

  • Retinite pigmentosa (RP): Retinite pigmentosa é um termo que descreve um grupo de doenças hereditárias, incluindo os seus efeitos a destruição da retina e a destruição do tecido visual capaz na parte de trás do olho. Esta doença, apesar de trabalho de investigação intenso, continua a não ter tratamento. Geralmente, causa problemas de visão, em condições de meia luz, ou cegueira nocturna, restrições do campo de visão, perda e perturbações da visão de cores, contrastes e sensibilidade de mistura. O processo, normalmente, tem início de modo gradual e disfarçado, ao longo de um período de tempo avaliado em décadas.
  • Degeneração Macular (DM): Em caso de degeneração macular (DM), ocorre a degeneração (ou seja, deterioração) da retina do paciente. Nesta altura, não existe nenhuma terapia comprovada para qualquer forma desta doença. Auxílios visuais ampliadores (por exemplo, lupas) são auxílios importantes para as pessoas afectadas. Em qualquer caso, é necessária uma inspecção regular por parte de um oculista. Especialmente importante é a protecção contra a radiação UV, com um bom par de óculos. Algumas pessoas sofrem de degeneração macular relacionada com a idade – isto parece ser mais frequente em conjunto com a esperança média de vida mais elevada. As causas exactas ainda não foram claramente definidas. Acredita-se que as alterações do mecanismo com camadas específicas da retina, como também os maiores depósitos na membrana da retina (sob a retina) provenientes da idade, estão relacionados.
  • Síndrome de Usher: A Síndrome de Usher tem início num dano auditivo com que a pessoa nasce (dificuldades de audição ou surdez), ao qual se acrescenta uma deficiência visual crescente, numa fase posterior. Aqui, falamos, também, de retinite pigmentosa.

 

Existem inúmeras maneiras de ajudar as pessoas com deficiências visuais.

O que é uma deficiência visual?

Óculos em tubo ZEISS

 

  1. Auxílios visuais ampliadores consoante o grau da deficiência visual, existem diferentes auxílios visuais que podem ser usados. Podem ser encomendados a um oculista e colocados em auxílios ópticos adicionais. Em qualquer caso, é importante ter uma personalização individual dos auxílios visuais à medida do utilizador. Apenas assim se pode obter um desempenho visual ideal para cada pessoa individual afectada. Isto reconhece a necessidade para a melhor qualidade de reprodução possível em combinação com um campo de visão que seja o mais vasto possível.
  2. Dado que as deficiências visuais não são sempre facilmente identificáveis, da mesma forma, a partir do exterior, não podem ser sempre medidas com igual precisão e têm sintomas bastante diferentes, esteja sempre pronto a ajudar quando necessário. Preste atenção especial a pessoas com deficiências visuais que se movimentam em público sem a utilização de uma bengala ou de uma fita de braço amarela. Podem pedir-lhe informações como o destino exibido num autocarro, a localização de um botão de semáforos ou um número de reserva. Uma resposta inequívoca e clara será bastante útil. Não se surpreenda se vir alguém com uma bengala branca na mão a comprar uma revista, num quiosque, ou a ler um livro no comboio com o auxílio de uma lupa. Não estão a fingir a doença. Também é possível que as pessoas afectadas se consigam orientar no seu quotidiano e que apenas tenham mais problemas à noite, na medida em que necessitam de usar uma bengala. Graças à formação em mobilidade quotidiana, muitas pessoas com deficiências visuais deslocam-se bastante bem – apenas precisam de apoio em casos específicos.
  3. Os contrastes ajudam! Faz sentido construir salas, peças de mobília ou mesmo serviços de mesa que sejam mais compatíveis com as necessidades de uma pessoa com deficiência visual, cuja orientação é limitada. Mesmo a iluminação sem encandeamento serve de ajuda. As lâmpadas adicionais, que podem ser facilmente usadas para auxiliar a leitura ou o trabalho de cozinha, também proporcionam boas ferramentas de apoio. A melhor escolha: Fontes de luz fria com intensidade elevada de luz. As lâmpadas de halogéneo são menos adequadas.
  4. Geralmente, as pessoas com deficiências visuais têm dificuldades em escrever à mão. Ajuda-os imprimir os caracteres em papel branco usando uma caneta preta grossa.
  5. Sempre que estiver a falar cara-a-cara com alguém que tenha deficiências visuais, não se surpreenda ou fique confuso se a pessoa não estabelecer contacto visual directo. Podem existir alturas em que, como resultado de uma deficiência no campo central de visão, alguém que sofra disso possa transmitir a impressão de que está a olhar para um ponto além da pessoa com quem está a falar. Continue a ter uma conversa normal. Por vezes, as pessoas que sofrem de deficiências visuais podem ser incorrectamente rotuladas de arrogantes e indelicadas. Mas tenha em consideração que várias situações que são completamente normais para si requerem uma concentração extrema caso a pessoa que sofre de alguma deficiência visual as tenha de fazer, podendo requerer um grande esforço. Em acréscimo, muitas das pessoas que se debatem com deficiências visuais causadas pela perda crescente da acuidade visual são incapazes de reconhecer rostos e, especialmente, gestos de outras pessoas (ou apenas o conseguem fazer se estiverem muito perto). Assim, quando cumprimentar alguém que tenha esta deficiência, pode nem sequer receber uma resposta.


Uma sugestão de prenda:
Para descontracção e entretenimento, os pacientes com deficiências visuais gostam bastante de livros áudio, agora disponíveis em formato de CD ou disponíveis para descarregar da Internet.

Artigos relacionados

Melhor qualidade de vida e maior independência: melhor visão com dispositivos de visão reduzida
 

Este website usa cookies. Cookies são pequenos arquivos de texto criados pelos websites e armazenados em seu computador. O uso de cookies é uma prática comum que permite melhorar o desempenho e a visualização dos sites. Ao navegar em nossos sites você está concordando com o seu uso. mais

OK