O que fazer se tiver dificuldades visuais

Tem visão 20/20 ou sofre de miopia/hipermetropia? Tem dificuldades visuais relacionadas com a idade? Um teste à sua visão fornecerá todas as respostas.

Os olhos humanos conseguem distinguir entre milhares de cores, avaliar a velocidade a que uma bola de ténis voa, reconhecer letras e imagens em menos de uma fracção de segundo. Todavia, tudo isto apenas funciona na perfeição caso os seus olhos gozem de uma saúde excelente. Milhões de pessoas sofrem de dificuldades visuais. Têm de usar óculos. O teste à sua visão, realizado pelo seu optometrista ou oftalmologista, indicar-lhe-á se sofre de miopia, hipermetropia ou se apenas sofre de dificuldades visuais relacionadas com a idade.

Tem visão 20/20 ou sofre de miopia/hipermetropia? Tem dificuldades visuais relacionadas com a idade? Um teste à sua visão fornecerá todas as respostas.

Tem visão 20/20 ou sofre de miopia/hipermetropia? Tem dificuldades visuais relacionadas com a idade? Um teste à sua visão fornecerá todas as respostas.

Miopia, hipermetropia ou presbiopia - os peritos oculares usam imenso vocabulário do latim para descrever dificuldades visuais. Como paciente, não deixe que o idioma o confunda, pois todos estes termos médicos apenas se referem a uma ampla variedade de dificuldades visuais. Em português corrente, a hipometropia é denominada de miopia, a hipermetropia e presbiopia são referentes a dificuldades visuais relacionadas com a idade.  Mais de metade da população alemã debate-se com uma ou outra imperfeição a nível de acuidade visual.  Um teste visual determina a condição, de modo instantâneo. Como resultado, podem ser receitadas as lentes de óculos adequadas, sendo a visão perfeita restaurada.

Breve explicação dos tipos de problemas visuais mais comuns

Miopia

Os raios de luz que atingem o olho são reunidos pela retina, o que resulta no formação de uma imagem distorcida. O olho afectado pela miopia é demasiado alongado ou a taxa de refracção da lente é demasiado alta. Como resultado, os objectos distantes não conseguem ser nitidamente reconhecidos. Recomendamos que visite o seu optometrista ou oftalmologista uma vez por ano, para um breve exame à sua visão. Se é uma das imensas pessoas que passa a maior parte da vida sem precisar de óculos e, subitamente, se apercebe que não consegue descortinar sinais de trânsito enquanto conduz, deve, sem dúvida, marcar uma consulta para realizar um teste à visão.

Como se desenvolve a miopia?
Na maior parte dos casos, a causa da miopia é o alongamento excessivo do globo ocular. Mesmo uma discrepância de somente 1 milímetro pode resultar numa miopia de, aproximadamente, -3 dioptrias. Dado que a acomodação do olho humano apenas pode aumentar a taxa de refracção, o olho não consegue compensar a miopia sem um auxílio visual.

Olho com miopia

 

As causas base da miopia permanecem um mistério. O único facto estabelecido até à data é que os factores genéticos desempenham um papel importante.  Esta é uma das razões pelas quais uma percentagem superior de pessoas de ascendência chinesa sofre de miopia, comparativas a pessoas com passado europeu. A miopia genética manifesta-se nas crianças em idade escolar, variando, geralmente, entre -2 a -4 dioptrias. O processo atravessa, geralmente, uma interrupção durante a puberdade ou em jovens adultos.

Como é que os oftalmologistas e optometristas realizam os exames oculares?

Os optometristas ou oftalmologistas verificam a acuidade da sua visão. Utilizam ferramentas como um dispositivo de medição, no qual inserem uma variedade de óculos, ou um instrumento denominado de foróptero.

Em apenas alguns instantes, o examinador pode testar uma gama de lentes colocadas em frente aos seus olhos. O paciente pode, facilmente, determinar quais as lentes que melhoram a sua visão e quais é que não melhoram. Estão disponíveis, agora, processos de medição auxiliados por computador.

Como é que as lentes oculares corrigem a miopia?

De modo a restaurar a visão à distância perfeita em patentes de miopia, a taxa de refracção excessiva tem de ser complementada por uma lente de difusão (lente minus) de tal modo que os raios de luz se reúnam na retina, possibilitando que o olho crie uma imagem nítida na retina.

Hiperopia

Em olhos afectados por esta condição, os raios de luz são reunidos atrás da retina e criam uma imagem distorcida. O olho afectado pela hipermetropia é demasiado reduzido e a taxa de refracção da lente não é suficiente. Esta condição pode causar os seguintes problemas:

  • A costura pode ser algo muito complicado e causa dores de cabeça.
  • Demora algum tempo até que um olho se adapte de uma visão de alcance longo para uma de alcance curto e vice-versa


Marque um exame com o seu optometrista ou oftalmologista caso  sofra, repetidamente, de dores de cabeça após ler ou fazer trabalho ao perto, como, por exemplo, em frente ao computador. Os olhos mais jovens podem compensar a hiperopia com a ajuda da dioptria de acomodação da lente do olho. Muitos dos jovens afectados por esta disfunção não o notam até atingirem uma idade mais avançada. Contudo, se reparar em tais sintomas, leve-os a sério e vá examinar os seus olhos.

Como se desenvolve a hiperopia?

O globo ocular dos pacientes que sofrem de hiperopia é demasiado reduzido ou a taxa de refracção da lente não é suficiente.  Como resultado, os raios de luz apenas são reunidos uma vez atrás da retina. As pessoas com visão normal têm olhos que permanecem completamente relaxados quando focam objectos ao perto.

Olho com hipermetropia

 

A taxa de refracção da lente deve ser aumentada em olhos que sofram de hiperopia, de modo a proporcionar uma visão nítida ao perto. Isto apenas pode ser atingido caso o músculo ciliário se encontre contraído, o que causa uma maior dobragem da lente. A tensão muscular adicional pode causar os incómodos já mencionados. Muitas das pessoas nem se queixam quando esta tensão adicional lhes causa enxaquecas, o que constitui a razão pela qual muitas delas continuarem a sofrer até lhes ser, finalmente, diagnosticada a hiperopia.

Como é que as lentes oculares corrigem a hipermetropia
Após testar a sua visão (consulte os detalhes mencionados supra) no optometrista ou oftalmologista, são receitados óculos com lentes convexas para garantir que os raios de luz provenientes de objectos distantes são reunidos na retina, sem que o olho se tenha de debater para compensar este problema visual através da dioptria de acomodação.

Problemas relacionados com a idade (presbiopia)

Com a alteração das lentes dos nossos olhos, provocada pela idade, podemos ser confrontados por um problema visual relacionado com a idade. Por volta dos 45 anos, as lentes começam a perder a sua capacidade de ajuste às tarefas visuais ao perto, de que necessita lidar. Tal é evidente nos seguintes sintomas:

  • O acto de ler vai-se tornando mais complicado e o paciente segura o livro ou jornal cada vez mais longe, de modo a conseguir descortinar o texto.
  • Sessões mais longas de leitura cansam os olhos, muito rapidamente, e podem causar dores de cabeça.
  • O paciente tem problemas com a visão ao perto quando as condições de luz não são as ideais.
  • A dificuldade em efectuar qualquer tipo de zoom sobre os objectos vai aumentando.


Consulte o seu optometrista ou oftalmologista assim que reparar nos seus primeiros problemas visuais, como, por exemplo, se começar a considerar o acto de ler como algo muito cansativo.

O que fazer se tiver dificuldades visuais

Consulte o seu optometrista ou oftalmologista assim que reparar nos seus primeiros problemas visuais, como, por exemplo, se começar a considerar o acto de ler como algo muito cansativo.

Como se desenvolve a presbiopia?
A causa deste problema visual foi determinada: À medida que envelhecemos, o conteúdo da água na lente do olho diminui, enquanto que o conteúdo da proteína insolúvel aumenta. Como resultado, a lente torna-se mais rígida e perde a sua elasticidade. Por conseguinte, já não se consegue dobrar na proporção necessária para que o olho humano consiga ver, nitidamente, ao perto. 

A evolução da presbiopia tem início por volta dos 45 anos. Nas fases iniciais, apenas são necessárias dioptrias de, aproximadamente, +0,75. Com o passar dos anos, a graduação de acomodação continua em declínio. O processo encontra-se, geralmente, completo depois dos 60 anos, sendo que a deficiência permanece no mesmo nível.

Como é que as lentes oculares corrigem a presbiopia?
Assim que a acuidade do paciente seja determinada, a deficiência visual pode ser compensada através de uma variedade de opções de lentes. Os pacientes previamente abençoados com visão normal necessitarão de óculos de leitura, com lentes côncavas. Dependendo da graduação ao perto, estes óculos têm de ser tirados aquando da realização de trabalho ao perto, como, por exemplo, o trabalho executado diante do computador. A situação de pessoas que sofriam, previamente, de miopia ou hipermetropia é algo mais complicada. Os pacientes que sofram de miopia necessitam de óculos de leitura com lentes de difusão mais fraca. Aos pacientes que sofram de hipermetropia são receitadas lentes côncavas mais fortes e óculos de leitura. Visto que a maior parte dos utilizadores não gosta de trocar, constantemente, de óculos, as pessoas que sofrem de hipermetropia, no geral, optam por lentes varifocais.

Além de abrangerem ambos os problemas, de alcances visuais curtos e distantes, dispõem, também, de uma zona correctiva que permite aos utilizadores verem, confortavelmente, a distâncias médias. Lentes varifocais  As lentes varifocais proporcionam transições ininterruptas do longe para o perto. Aliás, simulam os nossos padrões visuais naturais. A habituação aos óculos modernos é tão fácil que os períodos de familiarização são, agora, incrivelmente breves.

Visão após os 40 anos

 

Curvatura irregular da córnea (astigmatismo)

Esta deficiência visual é causada por uma curvatura irregular da córnea e, em casos raros, devido a irregularidades na lente. Os afectados por esta condição vêem imagens desfocadas e deformadas. Quase todas as pessoas sofrem de formas ligeiras de astigmatismo, visto que não existe um padrão exacto na natureza.

Os peritos advogam que a condição é causada por tensão excessiva da pálpebra, o que faz com que a superfície do olho adquira uma forma ligeiramente elíptica. Como resultado, a refracção da luz recebida aumenta. Os objectos são vistos em padrões desfocados e distorcidos, sendo que uma fonte de luz tracejada se assemelha a uma linha.

Na maioria dos casos, o astigmatismo ocorre em conjunto com miopia ou hipermetropia. Os peritos distinguem entre dois tipos de astigmatismo: Os pacientes com astigmatismo regular têm apenas dois níveis diferentes de refracção. As pessoas que sofrem de astigmatismo irregular têm córneas com formas tão irregulares que a luz recebida não é reunida num único ponto, mas, sim, em vários.

Como é que as lentes oculares corrigem estas condições?
Aos pacientes com astigmatismo regular são receitadas lentes cilíndricas. Estas refraccionam a luz em direcções diferentes. As receitas pertinentes não só estipulam os detalhes sobre a miopia ou hiperopia como, também, os níveis de graus das lentes cilíndricas.

Informação importante: As crianças com problemas visuais devem começar a usar óculos adequados às suas necessidades específicas, o mais cedo possível.  De outro modo, o paciente, enquanto adulto, poderá sofrer de dores de cabeça, visão dupla e distorcida, pois o cérebro terá aprendido a interpretar, correctamente, os objectos retratados, incorrectamente, na retina. Como resultado, deve ser retido.

O única correcção para astigmatismo irregular encontra-se disponível sob a forma de lentes de contacto especiais. Permitem que a película lacrimal entre a córnea e as lentes de contacto compense as irregularidades.

Olho com astigmatismo

 

Este website usa cookies. Cookies são pequenos arquivos de texto criados pelos websites e armazenados em seu computador. O uso de cookies é uma prática comum que permite melhorar o desempenho e a visualização dos sites. Ao navegar em nossos sites você está concordando com o seu uso. mais