Back To Top

Busca Lojas Conceito ZEISS e i.Terminal

Categoria

Por que as pessoas enxergam de modo diferente?

Cores mais ricas, uma visão noturna melhor, mais contraste – para um melhor uso de todo o nosso potencial de visão.

Seja percepção de cores, visão 3D ou visão noturna: todas elas variam de uma pessoa para outra. Por que o desempenho visual varia tanto de uma pessoa para outra – e como podemos melhorar a nossa visão e garantir o aproveitamento de todo o nosso potencial de visão?  

Algumas pessoas têm visão perfeita, enquanto outras têm problemas em distinguir cores diferentes ou em ver em três dimensões – mas por que existem essas diferenças no desempenho visual? Uma vez que tenham olhos saudáveis, pessoas jovens com miopia ou hipermetropia desfrutam de uma qualidade visual quase idêntica se os seus óculos forem devidamente ajustados. Os óculos adequados corrigem de forma eficaz qualquer variação no desempenho visual. Com o tempo, no entanto, isso se torna cada vez mais difícil, pois as diferenças entre uma pessoa e outra podem aumentar com a idade. Aos 80, é um simples fato da vida que já não vemos tão bem quanto aos 20 – a acuidade visual, a percepção do espaço e das cores, e nossa capacidade de ver à noite, tudo se deteriora com a idade. Entre os 40 e os 50 anos, o cristalino e o músculo ciliar começam a perder sua elasticidade, e nós nos tornamos cada vez mais incapazes de focar em distâncias diferentes. Ter de segurar um livro cada vez mais longe dos olhos é um sintoma típico dessa condição. Isso continua a se agravar à medida que envelhecemos.

As diferenças também surgem devido a doenças ou outras complicações que ocorrem durante a vida e não são corrigidas por óculos – catarata, glaucoma ou degeneração macular relacionada à idade são alguns exemplos. Assim, diferentes níveis de desempenho visual têm, geralmente, um fundo patológico. A visão noturna depende do bom nível de funcionamento dos bastonetes na nossa retina. Quando escurece, a luz restante atravessa a córnea e o cristalino antes de chegar à retina. É aí que a luz é processada em sinais para o cérebro. Isso se dá por dois tipos de receptores: os bastonetes e os cones. Os cones são responsáveis pela visão à luz do dia, os bastonetes pela visão à noite. Em alguns casos raros, a deficiência de vitamina A também pode levar à diminuição da visão noturna. Se a deficiência for removida, a nossa visão noturna melhora novamente.

Mulheres e homens têm uma percepção de cores diferente

A percepção de cores ocupa um lugar especial. Em geral, mulheres e homens percebem as cores de maneira diferente. As mulheres experimentam o mundo em cores mais quentes, por exemplo, e geralmente podem distinguir diferentes tons de vermelho melhor do que os homens. Os homens, por outro lado, são mais capazes de perceber pouco contraste e movimentos rápidos. Supõe-se que isso tem um fundo evolutivo: em tempos primitivos, as mulheres precisavam ser capazes de ver frutos vermelhos em arbustos verdes, por exemplo, e os homens tinham que caçar animais selvagens. A testosterona também desempenha um certo papel nisso, uma vez que promove a formação de conexões nervosas e de células no centro visual do cérebro de uma criança dentro do útero. Dentro de cada sexo, no entanto, essa variação é causada por deficiência na visão de cores e por daltonismo: uma pessoa daltônica não consegue perceber nenhuma cor, enquanto a deficiência na visão de cores envolve uma mudança no espectro das cores – todas as cores podem ser percebidas, mas em diferentes tons e nuances. Esse é um problema tipicamente masculino: de 8 a 9% da população masculina sofre de uma deficiência de visão de vermelho ou verde, consideravelmente mais do que as mulheres (apenas 0,5 a 0,8%).

Visão 3D para todos?

Apesar de a tecnologia "3D" no cinema e na televisão ser um tema popular, nem todas as pessoas têm visão tridimensional. Esse é especialmente o caso quando um dos olhos apresenta alguma deficiência e, por conseguinte, não vê tão bem quanto o outro. Às vezes, também é difícil para o cérebro processar as imagens especialmente alinhadas e gerar a típica impressão de profundidade. É sempre necessário um pouco de paciência, já que frequentemente o cérebro precisa de algum tempo para se acostumar com a nova situação.

Como aproveitar todo o nosso potencial de visão

Outro fator importante é a acuidade visual: qual é a minha capacidade de distinguir detalhes? A mesma regra se aplica aqui: sem o par de óculos correto, o potencial de visão do usuário não pode ser plenamente utilizado, e os detalhes mais sutis são simplesmente perdidos. Como resultado, ocorrem diferenças de percepção de uma pessoa para outra, as quais podem ser corrigidas com óculos. De fato, o potencial de visão individual de muitas pessoas não termina automaticamente em 100%, mas pode exceder este valor. Para atingir esse objetivo, o processo de exame e refração ocular deve ser tão preciso quanto possível, para garantir que o usuário receba lentes que maximizem o seu potencial de visão.

Como saber se uma pessoa enxerga de forma diferente da outra?

Vários testes padronizados estão disponíveis para determinar a nossa capacidade visual. A ZEISS utiliza o i.Polatest® para testar a acuidade visual, a visão 3D e visão de contraste com rapidez e precisão. A percepção de cores é testada com cartões de cores de Ishihara (também chamados de gráficos pseudocromáticos). São discos com pontos coloridos em diferentes tamanhos e com diferentes nuances. Pessoas com uma visão de cores normal são capazes de reconhecer determinados números ou letras, enquanto pessoas com uma percepção de cores defeituosa não conseguem. Um dispositivo conhecido como anomaloscópio pode ser usado para determinar deficiências na visão de cores e é frequentemente utilizado pelas empresas no teste de aptidão para profissões em que a visão de cores desempenha um papel importante (por exemplo, maquinistas, pilotos e até eletricistas).  

É muito mais fácil testar a acuidade visual, que é de importância central para a qualidade da nossa visão. Para isso, ver objetos distantes já é suficiente: certos detalhes podem ser reconhecidos ou não? Profissionais da visão utilizam um procedimento conhecido como refração subjetiva nesse teste: diferentes lentes de teste são colocadas em sucessão na frente dos olhos, e o paciente é questionado se vê melhor ou pior em cada caso.

Como a visão noturna, visão 3D ou percepção de cores pode ser melhorada?

Óculos ajustados por profissionais normalmente corrigem defeitos de visão noturna, visão 3D e percepção de cores. A percepção de cores pode ser otimizada por meio de lentes com filtros especiais, adaptadas à deficiência na visão de cores de cada usuário. Se as lentes são bem ajustadas, tendo um tratamento antirreflexo e corrigindo o estado refrativo atual do paciente, elas oferecem uma contribuição fundamental na melhora da percepção de cores. A percepção 3D e a visão noturna também podem ser melhoradas com óculos bem ajustados. É importante que as lentes levem em conta todas as dificuldades visuais do olho – também denominadas aberrações. Portanto, é essencial determinar essas aberrações desde o início. O i.Profiler® e as lentes com tecnologia i.Scription são ideais para identificar e corrigir aberrações oculares – e conseguir uma melhor visão, também em condições de pouca luz ou à noite.

Lentes sem tecnologia i.Scription corrigem aberrações apenas com base na refração subjetiva. Os valores de refração são obtidos utilizando lentes de teste, normalmente em ambientes bem iluminados. A prescrição é, portanto, adequada para condições de luz durante o dia, mas não necessariamente para pouca luz. No entanto, o i.Profiler® também mede o olho com a pupila do paciente dilatada, imitando assim a visão noturna, e dessa forma consegue obter a informação necessária. Como resultado, são obtidas lentes que proporcionam uma boa visão não só durante o dia, com também em condições de pouca luz ou à noite. Ao mesmo tempo, a percepção de contraste também é muitas vezes aumentada, porque os efeitos de halo são reduzidos na retina.

Embora o i.Profiler® não possa testar suficientemente a percepção de cores, pois a retina desempenha um papel fundamental nesse aspecto, já foi demonstrado que uma visão aguçada é um requisito para a percepção de cores saturadas e ricas. Isso significa que lentes mais precisas também oferecem, em muitos casos, uma melhor percepção das cores.

Aliás, os olhos das crianças (dos 4 anos de idade em diante) também se beneficiam com as medições do i.Profiler®. O alto grau de automação no processo de medição permite que o profissional da visão se concentre no pequeno paciente enquanto a máquina faz o seu trabalho.

Apenas ferimentos ou doenças como a catarata, que ocorrem inevitavelmente a partir de uma certa idade, tornam impossível melhorar o desempenho visual com óculos. O cristalino, então, se torna opaco e turvo. O único remédio é a cirurgia de catarata, em que o cristalino opaco é substituído por uma lente artificial transparente.

Artigos relacionados

O uso de óculos inadequados ou a exposição à luz desfavorável podem prejudicar os seus olhos?
Melhor visão com um novo par de lentes
Carl Zeiss, Ernst Abbe e Otto Schott – Uma equipa vencedora
Quando os óculos ficam muito apertados. As melhores dicas para uma visão confortável e o ajuste perfeito.
Óculos para ver ao longe e óculos de leitura
 

Este website usa cookies. Cookies são pequenos arquivos de texto criados pelos websites e armazenados em seu computador. O uso de cookies é uma prática comum que permite melhorar o desempenho e a visualização dos sites. Ao navegar em nossos sites você está concordando com o seu uso. mais

OK