Back To Top
Photochromic

Produtos ZEISS

Vale a pena ver melhor: Lentes para óculos, revestimentos e instrumentos de diagnóstico da ZEISS

mais

Entre em contacto

Tem interesse na Parceria ZEISS ou já é cliente da ZEISS e gostaria de fazer alguma pergunta?


Tem alguma dúvida?

Tópicos

  • i.Profiler
  • DuraVision Platinum
  • i.Demo
  • i.Terminal 2
  • Lentes para escritório
  • Lentes progressivas
  • i.Scription
  • Lentes monofocais ZEISS
  • Tratamentos
  • Capas

Fotocromáticos

As lentes fotocromáticas escurecem gradualmente quando expostas ao aumento da intensidade de luz de onda curta e regressam ao seu estado original quando a luz é removida. Estas lentes adaptam-se automaticamente às mudanças nas condições de luz, oferecendo proteção ideal contra ofuscamento em qualquer situação.

Lentes fotocromáticas minerais

Lentes fotocromáticas minerais

A primeira notícia a respeito das lentes fotocromáticas minerais foi publicada em 1964. A ZEISS lançou a sua primeira lente fotocromática em 1970.
As lentes fotocromáticas escurecem gradualmente quando expostas ao aumento da intensidade de luz de onda curta e regressam ao seu estado original quando a luz é removida. Estas lentes adaptam-se automaticamente às mudanças nas condições de luz, oferecendo proteção ideal contra ofuscamento em qualquer situação.
Para a produção de lentes fotocromáticas minerais, utiliza-se o vidro borossilicato, adicionando halogenados de prata ao vidro fundido para obter as propriedades fotocromáticas. Após o resfriamento, o vidro possui a coloração azul brilhante, mas ainda não é fotocromático. É necessário um processo de tratamento térmico a aproximadamente 600 °C para lhe conferir as propriedades fotocromáticas. A duração e a temperatura deste processo influenciam a cor do vidro, a velocidade da reação fotocromática e o grau de escurecimento.
As lentes fotocromáticas minerais são coloridas solidamente, ou seja, o grau de escurecimento pode variar levemente dependendo da espessura da lente, uma vez que as substâncias fotocromáticas são depositadas igualmente sobre toda a espessura da lente.

Lentes fotocromáticas orgânicas

Só recentemente os fabricantes conseguiram produzir lentes orgânicas com propriedades fotocromáticas comparáveis às das lentes minerais.

As lentes fotocromáticas orgânicas são produzidas a partir de um plástico especial, otimizado para a absorção das partículas fotocromáticas. Ao contrário das lentes fotocromáticas minerais, elas apenas adquirem as suas propriedades fotocromáticas no estado semiacabado ou acabado. Neste processo – conhecido como fotocromização – milhões de moléculas fotocromáticas são incorporadas à superfície anterior da lente a uma profundidade de aproximadamente 0,15 mm.
As moléculas fotocromáticas são essencialmente indolino-espironaftoxazinas. Transformam a sua estrutura química quando são expostas a radiação ultravioleta e luz azul de onda curta. Assim como uma flor exposta à luz do sol, estas moléculas abrem e mudam a cor da lente.
Se a intensidade da radiação ultravioleta diminui – ao entrar num ambiente fechado, por exemplo – ou deixa de haver radiação ultravioleta, as moléculas fecham-se novamente. A lente fica clara e adota uma coloração filtrante atraente.
Uma vez que as moléculas se encontram somente na superfície da lente, o processo de escurecimento ocorre igualmente por toda a superfície, independentemente da potência dióptrica.

 

Este website usa cookies. Cookies são pequenos arquivos de texto criados pelos websites e armazenados em seu computador. O uso de cookies é uma prática comum que permite melhorar o desempenho e a visualização dos sites. Ao navegar em nossos sites você está concordando com o seu uso. mais

OK