Back To Top
Plastic

Produtos ZEISS

Vale a pena ver melhor: Lentes para óculos, revestimentos e instrumentos de diagnóstico da ZEISS

mais

Entre em contacto

Tem interesse na Parceria ZEISS ou já é cliente da ZEISS e gostaria de fazer alguma pergunta?


Tem alguma dúvida?

Tópicos

  • i.Profiler
  • DuraVision Platinum
  • i.Demo
  • i.Terminal 2
  • Lentes para escritório
  • Lentes progressivas
  • i.Scription
  • Lentes monofocais ZEISS
  • Tratamentos
  • Capas

Orgânicos

Materiais para lentes orgânicas

Orgânicos

Lentes orgânicas ZEISS com índices de refração desde 1,5 até 1,67

O material CR 39 foi o primeiro plástico adequado à produção de lentes oftálmicos. Este plástico foi lançado no mercado pela empresa PPG (Pittsburgh Plate Glass) em 1947.
Inicialmente, o CR 39 de baixo índice era o único material usado para lentes orgânicas. Foi somente a partir de meio dos anos 80 que se deu o início do desenvolvimento de materiais orgânicos com índice de refração mais alto.
Novos esforços estão a ser canalizados para a criação de materiais não apenas com maior índice de refração, como também com boas propriedades de manuseio, dureza mecânica, baixa dispersão e coloração. O objetivo é oferecer lentes orgânicas, finas e planas, mesmo às pessoas com altas prescrições.

O que é o vidro orgânico?

O vidro orgânico é um material plástico totalmente sintético, disponível no estado vítreo. Este vidro consiste de compostos orgânicos macromoleculares que não seguem qualquer princípio de disposição periódica, ou seja, compostos que são amorfos.

Na maioria dos casos são usados plásticos termoestáveis na produção de lentes orgânicas. Uma vez termicamente tratados depois da produção, as suas formas não podem mais ser modificadas.
Uma característica típica do processo de produção é que, quando sujeitas ao calor, muitas moléculas (monómeros) combinam-se através de uma reação química para formar uma grande cadeia de moléculas (polímeros).
O conhecido plástico CR 39 é um desses materiais usados para o fabrico de lentes orgânicas.


Qual é a origem da designação CR 39?

Fórmula estrutural do CR 39

Qual é a origem da designação CR 39?

Devido à escassez de matérias-primas naturais no início da Segunda Guerra Mundial, a indústria de plástico tornou-se uma incrível fonte de materiais substitutos.
Naquela época, uma subsidiária da PPG Industries, a "Columbia Southern Chemical Company", iniciou a pesquisa de novas formas de obter materiais não termoplásticos. O projeto foi denominado pelos cientistas envolvidos como "Columbia Resins".
Em maio de 1940 a pesquisa resultou no monómero ADC (carbonato de alil diglicol). Nos anos seguintes, mais de 180 compostos diferentes deste monómero foram pesquisados e examinados.

O 39º composto testado revelou-se o mais adequado, devido às suas propriedades únicas. Mais tarde, foi usado para a produção de lentes orgânicas.

Lentes minerais ou orgânicas?

Dicas e conselhos
Lentes de vidro
Lentes minerais
Índices de refração muito altos permitem a produção de lentes finas, até mesmo para altas prescrições.
Ampla gama de índices de refração, desde n = 1,5 até n = 1,9

Resistência a arranhões, maior durabilidade e vida mais longa das lentes
Superfície com boa resistência

Menos franjas de cores restantes do que nas lentes orgânicas com mesmo índice de refração Baixa dispersão, mesmo com altos índices de refração
Lentes bifocais e trifocais sem arestas palpáveis
Boa capacidade de fusão de diferentes materiais
Eliminação simples dos subprodutos resultantes do processo de fabrico Processo de fabricação respeitando o meio-ambiente
Sem deformações e, por seguinte, sem alteração das propriedades óticas a altas temperaturas
Alta resistência térmica

Possibilidade de usar lentes coloridas uniformemente e de colar segmentos, por exemplo, com potências prismáticas diferentes nas zonas para perto e para longe
Materiais com boas propriedades de colagem

Lentes de plástico
Lentes orgânicas
Índices de refração altos permitem a produção de lentes finas, até mesmo para prescrições mais altas
Índices de refração desde n = 1,5 até n = 1,74
Óculos mais leves e confortáveis
Baixa densidade
Altamente recomendadas para óculos de desporto e para crianças
Alta resistência à quebra
Coloração personalizada, independente da prescrição, utilizando o processo de imersão
Grandes possibilidades de coloração

Escurecimento uniforme das lentes orgânicas fotocromáticas, independente da potência dióptrica
Incorporação de substâncias fotocromáticas na superfície da lente

Trabalhos de polimento ou soldagem não danificam a lente
Muito resistente a fagulhas
Para obter uma dureza semelhante à das lentes minerais é necessário um revestimento de endurecimento
Superfície de baixa resistência

Exemplos de tipos de lentes

Materiais para lentes orgânicas
Exemplos de lentes em que são aplicados
Índice de refração médio nd
Número de Abbe νe
 
CR 39
Monofocal Esf. 1,5
1.501
58.0
Primeiro material orgânico utilizado na produção de lentes oftálmicas
MR 8 Monofocal AS 1,6
1.598 41.0 Material orgânico com alto índice de refração, utilizado nas lentes ZEISS desde 1993
MR 7 Monofocal AS 1,67
1.665 32.0 Material orgânico com muito alto índice de refração, utilizado nas lentes ZEISS desde 1997
CR 330 Photolet
1.501 57.0 Material orgânico para lentes fotocromáticas, utilizado nas lentes ZEISS desde 1995
MR 174 Monofocal AS 1,74
1.738 32.0 Material orgânico com muito alto índice de refração
 

Este website usa cookies. Cookies são pequenos arquivos de texto criados pelos websites e armazenados em seu computador. O uso de cookies é uma prática comum que permite melhorar o desempenho e a visualização dos sites. Ao navegar em nossos sites você está concordando com o seu uso. mais

OK